Make your own free website on Tripod.com

O Cérebro

Apresentação
Fotos
Hipertensão, Diabetes, Nutrição e Exercício
Biologia Médica - Biomedicina
Enfarte do Miocárdio
Arterioesclerosis
Doenças Vasculares
Aneurisma
A Grávida
O Coração Esse Órgão Ignorado
O Cérebro
Disfibrilador Implantável
A Terapia da Ressincronização Cardíaca
O Transplante do Coração
A Pericardite
O Edema Agudo do Pulmão
A Anatomia do Coração

Um enfarte cerebral ou ictus é o equivalente de um cardíaco mas que, neste caso, afecta o cérebro. Em outras palavras, uma artéria que leva sangue ao cérebro está completamente obstruída provocando uma paralisia, dificuldade na fala ou perda da visão, dependendo da área do cérebro à qual não chega o sangue. Também é possível que as artérias do cérebro cheguem a romper-se, produzindo-se um derrame ou hemorragia cerebral que pode ter efeitos mortais sobre o paciente. O ataque ou derrame cerebral é uma lesão cerebral causada pela interrupção da corrente sanguínea e os desencadeantes podem ser:

 

Trombose: é o bloqueio de uma artéria do pescoço ou do cérebro, causada pela acumulação de colesterol. Aproximadamente 60 por cento de todos os derrames cerebrais ocorrem por causa de tromboses.

 

Embolia: é o bloqueio de uma artéria do pescoço ou do cérebro, causada por um coágulo. Estes coágulos podem ser coágulos sanguíneos, formados em outra parte do corpo e viajam até o coração, ou podem ser parte dos depósitos gasosos que se encontram nas artérias. Aproximadamente 20 por cento dos derrames cerebrais são por causa de embolias.

 

Hemorragia: é a ruptura de uma artéria no cérebro ou na superfície. Tais rupturas são causadas pela debilitação do lado da artéria ou por uma anormalidade congénita do sistema de circulação do cérebro. As hemorragias podem ocorrer no cérebro ou no espaço entre o cérebro e a membrana protectora. Aproximadamente 20 por cento dos derrames cerebrais são por causa de hemorragias. Os ictus ou enfartes cerebrais se apresentam de forma súbita e são o resultado de uma série de hábitos de vida e de circunstâncias pessoais pouco saudáveis. Os vasos sanguíneos são o alvo destas agressões e, depois de anos de sofrer um dano continuado, expressam sua queixa final e rotunda: o ictus.

 

Embolia Pulmonar

 

A embolia pulmonar pode ser produzida por um trombo. Quando se desenvolve um trombo e se liberta a parede pode ir pelo sistema circulatório e chegar ao coração onde pode provocar uma embolia se atravessa a circulação arterial. Se passa através do músculo cardíaco, pode chegar aos pulmões e gerar o processo. Ao obstruir os vasos pulmonares, há uma zona do pulmão que não pode trocar o oxigénio e o anidrido carbónico do sangue. É quando se produz uma situação na qual o paciente é incapaz de fazer este intercâmbio e pode degenerar numa situação grave.

 

FACTORES DE RISCO:

 

·        Hipertensão arterial. É o factor de risco mais importante para qualquer doença cardiovascular. Por isso, devem-se seguir controlos de pressão arterial periodicamente. A alimentação deve ser baixa em sal e a comida fresca, consumir fruta e verdura diariamente para aumentar o potássio de sua dieta.

·        Fumo. O consumo de cigarro está relacionado com a obstrução das artérias do cérebro e do coração. Ademais, a nicotina aumenta a tensão arterial.

·        Diabetes. O aumento de glucose no sangue tem efeitos prejudiciais em todas as artérias do corpo, incluído o cérebro. Ademais, produz complicações que aumentam o risco de sofrer um enfarte, tanto cardiovascular como cerebral.

·        Colesterol. O consumo de gorduras, especialmente se tem alto o nível de colesterol, faz que aumentem as lesões arteriais (arteriosclerose) que podem desencadear transtornos cardiovasculares.

·        Sobrepeso. É primordial realizar uma alimentação adequada às doenças que se padeçam (diabetes, hipertensão, hipercolesterolemia), mas, em qualquer caso, há que evitar o sobrepeso. Por isso, deve-se comer só o necessário para manter ou diminuir o peso.

·        Exercício físico. O exercício ajuda a consumir possíveis excessos de glucose no sangue, reduz o peso e permite um melhor controlo da tensão arterial. Melhora também o funcionamento do coração e reduz o risco de sofrer enfartes de miocárdio. Aumenta a elasticidade dos músculos e articulações.

 

 

CONSELHOS PARA MELHORAR A SAÚDE CARDIOVASCULAR

 

Adquirir o hábito de fazer exercício com regularidade (ideal, todos os dias uma hora ou pelo menos três vezes à semana 30 minutos).

 

-          Caminhar ao ar livre a uma velocidade aproximada de 4 quilómetros por hora. Ao exercitar o corpo diariamente se melhora a função muscular cardíaca, pode-se manter o peso adequado e se diminui a pressão arterial e a ansiedade.

-          Alimentar-se bem, de forma equilibrada e natural, com abundantes frutas e verduras e diminuindo a quantidade de gorduras, sal, açúcar e alimentos processados industrialmente, e beber abundante água.

-          Tentar evitar ou dominar o stresse.

-          Controlar periodicamente a pressão arterial.

-          Deixar de fumar e beber álcool de forma moderada.

-          Ir periodicamente ao médico para revisão.

 

Eu sei que no Brasil tem comida deliciosa. Na Europa também. Tem a cervejinha. E me perguntam... Se deixar tudo isso eu vou viver muito? Isso não sei, mas garanto que aumenta a probabilidade de viver mais tempo e melhor.

 

MUSICA GRANDE AMORE

Copyrights © 2010-2014. Coracao. All rights reserved.